A Pentadialética e a Decadialética: uma análise da potência única dos quatro discursos – Parte II

  • Isaac Denyon Fonseca
  • 20 out 2022
Mário e Olavo - 4 discursos

Segundo Ferreira dos Santos (1959): “Já vimos as primeiras, as que se referem à intensidade. As segundas estão nas oposições das diversas atualizações que são sucessivas, como as moções, mutações e o movimento, nos corpos. Essas atualizações são ainda de número indeterminado e quando qualitativas (intensidade) ou quando quantitativas (extensidade), têm ações recíprocas que já estudamos, quando tratamos das passagens da quantidade para a qualidade e vice-versa, da reciprocidade, etc“. 

Segundo Carvalho (2009): “Quando os entes passam por mudanças, elas podem ser tanto de natureza intensiva quanto extensiva. A descrição precisa das mudanças exige a articulação dos dois pontos de vista.

Para compreendermos bem algo, temos de entender quais as possibilidades que existem nele – tanto na sua extensividade, quanto na sua intensidade. No campo das oposições da intensidade, as atualizações que elas podem ter está relacionado diretamente com as proposições, ou seja: aquilo que permite a possibilidade do movimento do discurso.

O modo como elas podem ser atualizadas será determinado no momento em que elas são confrontadas com questão da credibilidade – do maximamente crível ao minimamente crível -, e isso possibilitará, as agora premissas, serem descritas de dois modos: explícitas ou implícitas. No caso de serem implícitas, elas são classificadas segundo a intencionalidade de as manter omitidas ou não – e existem ainda os pressupostos, que é quando o emissor toma inadvertidamente determinadas crenças e premissas.

Quanto a credibilidade, já descrevemos o seu atuar, e as gradações que ela pode possuir. Assim sendo, constatamos que o principal objetivo de todo, e qualquer, discurso produzido é provocar uma modificação no ouvinte – tanto que a aceitação mínima por parte do receptor é o que provocará o início da credibilidade, e ela somente tem o seu ápice conquistado quando existe a plena aceitação do ouvinte pela modificação proposta.

Logo, nesse instante, ocorre a convergência total entre intensidade e extensidade do Discurso. Como ápice da intensidade, temos o desejo de modificação, entendido como propósito formal do discurso; como extensidade, no momento em que um discurso é proferido, a modificação deixa de ser um propósito, para ser colocado em prática como ato – ação a ser realizada. Nesse momento, a intenção de provocar uma modificação, que antes não podia ser graduada, torna possível ao receptor decidir se vai ou não acompanhar um discurso, e o nível de aceitação que será cedido.

Temos, então, a passagem da intensidade para a extensidade em suas atualizações, onde ele deixa de ser um movimento de uma proposição a outra, para ser – por meio de um encadeamento de nexos – um trânsito do acreditado ao aceitável, pois as suas proposições são minimamente críveis, e houve a aceitação da manipulação por parte do receptor.

Assim, conforme um discurso é proferido, a intenção de uma provocação tem uma gradação, ou seja: o propósito de causar uma modificação se estabiliza, e a credibilidade ocupa uma posição de prioridade – o que fará dela a base de onde virá a definição. A consequência disso é que o emissor passa a se preocupar mais com a extensão da credibilidade que o discurso possui, do que a intenção de provocar uma modificação; apesar disso, aquela não desaparece, já que, para que um discurso tenha credibilidade, é preciso que haja necessariamente a intenção de que ele tenha credibilidade. 

 

6) Campo das oposições do sujeito: Razão e Intuição

Este conteúdo está bloqueado

Assine agora ou faça login para desbloquear o conteúdo!

 

 

 

 

 

Isaac Denyon Fonseca

Isaac Denyon Fonseca, natural de Teresina, Piauí. Bacharel em Jornalismo e Licenciando em Língua Portuguesa/Inglesa. Estudante da obra de Mário Ferreira dos Santos e Louis Lavelle.

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter por e-mail para receber artigos úteis e ofertas especiais.


    Tags populares

    #4discursos#8m#actante#Adolescente#AlainPeyrefitte#AlfredKinsey#Alienação#AltaCultura#Amadeus#AmãodeDeus#Amlet#AnaCampagnolo#Analiseliteraria#Anime#AntonioGramsci#AntonioMazzeo#Antoniorago#Antropologia#aparelhosprivadosdehegemonia#Aristoteles#Arte#artedopossivel#Artes#Artesacra#Autoridade#Beleza#biografia#Blackclover#Bleach#Boecio#Boitempo#Bokunohero#BradPitt#Brasil#Brasilparalelo#burguesia#burke#CapitalIntelectual#CapitalSocial#Caridade#CarlJung#Celsofrederico#Certeza#Chesterton#cidadania#circulodelatencia#COF#comunismo#Confiança#consciência#consciente#conservador#conservadorismo#convicção#CornelioFabro#Cornu#Cosmologia#Cosmos#Cratologia#Crianças#cristianismo#Cristo#Critica#cultura#CulturaOriental#CulturaPop#cursoonlinedefilosofia#Dalila#Deathnote#decadialetica#DecioSaes#democraciaracial#Depressão#Desenvolvimentosocioeconômico#Deus#dialetica#Dialeticasimbolica#DiaM#Dianabarros#Direita#discursivo#discurso#Divorcio#Dostoievski#Drama#EdgarAllanPoe#Edithstein#edmundhusserlcontraopsicologismo#Educação#Educaçãodomiciliar#ego#Epistemologia#epistemologiafilosofica#eraumavez#Ericvoegelin#escoladefrankfurt#Escolastica#Espírito#esquerda#Estado#Eternidade#Etzel#Evidência#Existencialismo#extremadireita#fantastico#Fariasbrito#fascismo#FaustoZamboni#Fé#feminismo#Filmes#Filosofia#FilosofiadoDireito#FilosofiadoValor#Filosofiapolítica#Filosofiatransconsciêncial#FrançoisLecoutre#FriedrichEngels#Frodo#Gênero#GeorgeOrwell#Gilbertofreyre#GordonAllport#Gramsci#Greimas#GyörgyLukács#HannahArendt#HansKelsen#Hegel#Heidegger#Histericos#Homem#Homemcomum#Homeschooler#ideologia#Igreja#Iluminismo#Império#inconsciente#Índice#IndústriaCultural#integralismo#intelectualidade#Inteligência#Inteligenciaemocional#inteligenciaeverdade#introduçãoaolavodecarvalho#Intuição#IstvánMészáros#ItaloMarsili#IvanIllich#Jakobwassermann#Japão#Jardimdasaflições#Jaspers#Jeancalvez#JeanJacquesRousseau#Joãocamilo#jornalcultural#josepaulonetto#JrrTolkien#JuanCruzCruz#JudithButler#JulianMarias#jusnaturalismo#juspositivismo#Kant#KarlMarx#KateMillett#Kierkegaard#kirk#Kollontai#korsch#Lavelle#Leiseternas#leisontologicas#LeonardoDicaprio#LeszekKolakowski#Libidodominandi#linguagem#Literatura#logoi#Logoterapia#LouisLavelle#Lukács#Luke#Mangá#Maquiavel#MargaretSanger#MaríliaMoschkovich#Marioferreira#Marlyviana#Marx#marxianos#marxismo#marxistas#marxologos#maturidade#Maurizius#Mentalidaderevolucionaria#Meszaros#Metafisica#metafisicacarvalhiana#midcult#Mídia#Midiasemmascara#Mídiassociais#Milosforman#Mito#Mozart#Mundo#NancyFraser#Nãoolheparacima#narrativo#Naruto#Natal#Naturezahumana#negacionista#neocon#neofascismo#Netflix#Nietzsche#Niilismo#Ocorvo#Ódio#Ogatopreto#ohobbit#Ohomemdonorte#Olavodecarvalho#OliveiraViana#OminimosobreOlavodeCarvalho#Ontologia#ONU#OrtegayGasset#ortodoxia#osenhordosaneis#OSilmarillion#Oswaldspengler#Otaku#Pais#pandemia#PaoloSorrentino#Pascoa#passado#Patronato#PedroLombardo#Peirce#pentadialetica#perelman#Personalidade#perspectivarotatoria#Poder#Podermoderador#Pólis#Ponerologia#popular#Portugal#práxis#presençadoser#Programanarrativo#Prudencia#Psicologia#Raskólnikov#Raymondaron#reacionarismo#realidade#realidadebrasileira#ReneGuenon#República#RevistaVeja#Revoluçãosexual#RicardoAntunes#RobertdeNiro#RobertEggers#RonaldRobson#Rosaluxemburgo#Rosenstock#Rubel#sabedoriadasleiseternas#Sacerdotes#Sade#Sansão#SantoTomásdeAquino#Semantica#SeminariodeFilosofia#Semiótica#sensocomum#SentidodaVida#Ser#Sereconhecer#Simba#Simbolo#SimonedeBeauvoir#sinceridade#Sleepers#soberba#sociedade#Sociologiadotrabalho#Stalin#Susannelanger#Tarantino#Temperamentos#TeoriadasDozeCamadas#texto#The WalkingDead#TheodoreDalrymple#tiagoamorim#TimLahaye#TokyoGodfathers#Tolkien#Tradição#Transcendente#TratadodosValores#travesti#Tribos#Triplaintuição#Trivium#Tzvetantodorov#Umanel#Unamuno#universidade#utilitarismo#Valor#Verdade#Vida#VidaIntelectual#Videeditorial#Vieira#ViktorFrankl#VirgíniaFontes#Vontadeintelectual#weilAndrewLobaczewskiAxiologiaCruzPadreBobbySimbolismoVIsalãodolivropolítico