Os Lógoi de Mário Ferreira e o Discurso Humano em Olavo de Carvalho – Parte III

  • Isaac Denyon Fonseca
  • 12 maio 2022

Em Beta, todos os relacionamentos são entre opostos – e são ativos e passivos, relativamente ativos e passivos. Assim, “a parte ativa de um age sobre a parte passiva do outro e vice-versa. [1] Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.: 65   Podemos citar, como exemplo, o símbolo chinês Yin-Yang. Há  entre eles um exercício mútuo. Essa interação ocorre porque “Yang não é puramente ativo, nem Yin é puramente passivo. Yang é principalmente passivo-ativo e o outro é principalmente passivo-ativo”. [2] Ibidem Em tudo no Beta, em todos os seres finitos, a interação ocorre no desempenho efetivo – na proporção da natureza não só do efetivo, mas também da eficiência daquele que está sendo determinado.

No Beta, cada entidade sempre mostra alguma resistência e alguma passividade. Podemos usar a questão do determinismo e do livre-arbítrio. O livre-arbítrio só pode existir onde há resistência a algo que possui o determinismo, enquanto o determinismo só pode funcionar como um inibidor do livre-arbítrio. Caso  não houvesse livre-arbítrio, o determinismo seria instinto ou programação, e, caso fosse o inverso, livre-arbítrio seria liberdade absoluta. Um produz sua ação no outro, só pode existir com o outro em um sistema de reciprocidade. Quanto mais um, menos o outro – mas o outro nunca desaparece.

O exercício da minha liberdade, e seu envolvimento, é feito apenas de acordo com minha vontade, a menos que as circunstâncias excedam minha capacidade de combatê-la – mas, mesmo nesses casos, posso ser livre, desde que meu livre arbítrio supere o determinismo que o ambiente dita. Da mesma forma que um tijolo só pode ser moldado se devido à resistência do barro, e essa resistência devolve uma energia “delimitante sobre a forma que a causa eficiente busca imprimir nela” [3]Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.: 68 , então só posso exercer meu livre arbítrio em cima da força contrária a qual o determinismo impõe.

A partir disso, podemos estabelecer a lei da reciprocidade. Os opostos analogados, nas suas relações, mais do que interatuam: reciprocam-se”. [4] Ibidem Essa lei é observável em todos os entes que possuem oposições intrínsecas. Suas oposições sempre irão formar opostos análogos – exercendo uma ação mútua de um sobre os outros, nas oposições e interatuações extrínsecas.

Tudo do contexto Beta, quando observadas, analisadas e descritas, pode ser: “unitariamente em si, diadicamente nas suas oposições, ternariamente na sua série (nas suas relações e também como começo, meio e fim) e quaternariamente como resultado da reciprocidade dos opostos, os quais se interatuam proporcionadamente à sua capacidade determinante e à sua capacidade determinável“. [5] Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.:66 Discurso é … o trânsito do acreditado ao acreditável, por meio de um encadeamento de nexos“. [6] Olavo de Carvalho – Aristóteles em nova Perspectiva – pág.: 45

Sabemos que todo discurso é movimento. Após analisar os elementos necessários para realizar esse movimento, ele deixa de ser uma mera movimentação entre possíveis proposições, para se tornar algo mais refinado e estruturado – um trânsito. Como unidade, podemos observar esse trânsito do discurso, o qual se dá no campo delimitado que se inicia quando as condições já são acreditadas – ou tidas como verdadeiras -, e continua até o acreditável – onde as conclusões que o locutor quer trazer ao interlocutor são tidas como conclusivas. Tudo isso será feito através de um encadeamento de nexos, o que permitirá que toda a estrutura seja uma única unidade.

Essa unidade apresentada exibe uma unidade formada por outras unidades menores, e que possuem as suas próprias classificações e categorias de elementos internos – as quais podem ser ainda graduadas conforme a intensificação com que elas têm o seu efeito. Observamos que essa unidade discursiva é propositalmente, e facilmente, decomponível, apresentando possibilidades de variação – devido a essa definição ser abstraída e delimitada dos quatro discursos. Esse fracionamento, que o percurso do trânsito discursivo possui, é produto dessa derivação que ele tem. Na definição encontramos quatro elementos: o trânsito, o acreditado, o acreditável, e o encadeamento de nexos – este último, responsável por dar unidade aos outros elementos.

Apesar de o encadeamento de nexos dar unidade, é preciso que algo ligue todos esses elementos, e que ainda consiga levar em consideração as divisões internas que todos possuem – pois,, separadamente, cada um possui a sua unidade; eles isoladamente são unidades, e apenas juntos é que podem formar a unidade discursiva. Interessante torna-se o fato de que o discurso foi tido primeiramente como movimento, e após isso como um trânsito, sendo esse primeiro elemento citado em sua definição. Esse ato faz com que a relação entre o acreditado, o acreditável, no encadeamento de nexos aconteça; sem ele temos apenas elementos soltos – que podem ser descritos dicionariamente, e analisados e pormenorizados como objetos de estudo próprio, mas que não formarão jamais, nesse estado, a definição de discurso. O trânsito é o responsável por ser a relação a qual é estabelecida pelas partes que compõem a definição de discurso.

Cada elemento da definição de discurso tem sua própria unidade, então cada um tem sua própria atividade e passividade, quando conectados por meio do trânsito discursivo. Cada parte que compõe o discurso tem sua própria qualidade, portanto tem a sua proporção própria de atividade e passividade – quando agem, e quando aceitam a atuação dos outros sobre eles -, e tudo isso servirá para compor como o discurso será apresentado – tomado em sua unidade, caso ocorra dele ser eficaz ou malogrado. As premissas, por exemplo, por já serem conhecidas e tomadas como verdadeiras, possuem um certo nível de passividade superior ao dos outros elementos – sua função é fornecer a base de sustentação para o motivo do discurso ocorrer, daí na definição de discurso elas serem apresentadas como acreditada; mas podem ser ativas quando são implícitas, afinal, elas podem modificar o discurso sem que a percepção do interlocutor o saiba.

Este conteúdo está bloqueado

Assine agora ou faça login para desbloquear o conteúdo!

References

References
1 Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.: 65
2, 4 Ibidem
3 Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.: 68
5 Mário Ferreira dos Santos – A Sabedoria das Leis Eternas – Pág.:66
6 Olavo de Carvalho – Aristóteles em nova Perspectiva – pág.: 45
Isaac Denyon Fonseca

Isaac Denyon Fonseca, natural de Teresina, Piauí. Bacharel em Jornalismo e Licenciando em Língua Portuguesa/Inglesa. Estudante da obra de Mário Ferreira dos Santos e Louis Lavelle.

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter por e-mail para receber artigos úteis e ofertas especiais.


    Tags populares

    #4discursos#8m#actante#Adolescente#AlainPeyrefitte#AlfredKinsey#Alienação#AltaCultura#Amadeus#AmãodeDeus#Amlet#AnaCampagnolo#Analiseliteraria#Anime#AntonioGramsci#AntonioMazzeo#Antoniorago#Antropologia#aparelhosprivadosdehegemonia#Aristoteles#Arte#artedopossivel#Artes#Artesacra#Autoridade#Beleza#biografia#Blackclover#Bleach#Boecio#Boitempo#Bokunohero#BradPitt#Brasil#Brasilparalelo#burguesia#burke#CapitalIntelectual#CapitalSocial#Caridade#CarlJung#Celsofrederico#Certeza#Chesterton#cidadania#circulodelatencia#COF#comunismo#Confiança#consciência#consciente#conservador#conservadorismo#convicção#CornelioFabro#Cornu#Cosmologia#Cosmos#Cratologia#Crianças#cristianismo#Cristo#Critica#cultura#CulturaOriental#CulturaPop#cursoonlinedefilosofia#Dalila#Deathnote#decadialetica#DecioSaes#democraciaracial#Depressão#Desenvolvimentosocioeconômico#Deus#dialetica#Dialeticasimbolica#DiaM#Dianabarros#Direita#discursivo#discurso#Divorcio#Dostoievski#Drama#EdgarAllanPoe#Edithstein#edmundhusserlcontraopsicologismo#Educação#Educaçãodomiciliar#ego#Epistemologia#epistemologiafilosofica#eraumavez#Ericvoegelin#escoladefrankfurt#Escolastica#Espírito#esquerda#Estado#Eternidade#Etzel#Evidência#Existencialismo#extremadireita#fantastico#Fariasbrito#fascismo#FaustoZamboni#Fé#feminismo#Filmes#Filosofia#FilosofiadoDireito#FilosofiadoValor#Filosofiapolítica#Filosofiatransconsciêncial#FrançoisLecoutre#FriedrichEngels#Frodo#Gênero#GeorgeOrwell#Gilbertofreyre#GordonAllport#Gramsci#Greimas#GyörgyLukács#HannahArendt#HansKelsen#Hegel#Heidegger#Histericos#Homem#Homemcomum#Homeschooler#ideologia#Igreja#Iluminismo#Império#inconsciente#Índice#IndústriaCultural#integralismo#intelectualidade#Inteligência#Inteligenciaemocional#inteligenciaeverdade#introduçãoaolavodecarvalho#Intuição#IstvánMészáros#ItaloMarsili#IvanIllich#Jakobwassermann#Japão#Jardimdasaflições#Jaspers#Jeancalvez#JeanJacquesRousseau#Joãocamilo#jornalcultural#josepaulonetto#JrrTolkien#JuanCruzCruz#JudithButler#JulianMarias#jusnaturalismo#juspositivismo#Kant#KarlMarx#KateMillett#Kierkegaard#kirk#Kollontai#korsch#Lavelle#Leiseternas#leisontologicas#LeonardoDicaprio#LeszekKolakowski#Libidodominandi#linguagem#Literatura#logoi#Logoterapia#LouisLavelle#Lukács#Luke#Mangá#Maquiavel#MargaretSanger#MaríliaMoschkovich#Marioferreira#Marlyviana#Marx#marxianos#marxismo#marxistas#marxologos#maturidade#Maurizius#Mentalidaderevolucionaria#Meszaros#Metafisica#metafisicacarvalhiana#midcult#Mídia#Midiasemmascara#Mídiassociais#Milosforman#Mito#Mozart#Mundo#NancyFraser#Nãoolheparacima#narrativo#Naruto#Natal#Naturezahumana#negacionista#neocon#neofascismo#Netflix#Nietzsche#Niilismo#Ocorvo#Ódio#Ogatopreto#ohobbit#Ohomemdonorte#Olavodecarvalho#OliveiraViana#OminimosobreOlavodeCarvalho#Ontologia#ONU#OrtegayGasset#ortodoxia#osenhordosaneis#OSilmarillion#Oswaldspengler#Otaku#Pais#pandemia#PaoloSorrentino#Pascoa#passado#Patronato#PedroLombardo#Peirce#pentadialetica#perelman#Personalidade#perspectivarotatoria#Poder#Podermoderador#Pólis#Ponerologia#popular#Portugal#práxis#presençadoser#Programanarrativo#Prudencia#Psicologia#Raskólnikov#Raymondaron#reacionarismo#realidade#realidadebrasileira#ReneGuenon#República#RevistaVeja#Revoluçãosexual#RicardoAntunes#RobertdeNiro#RobertEggers#RonaldRobson#Rosaluxemburgo#Rosenstock#Rubel#sabedoriadasleiseternas#Sacerdotes#Sade#Sansão#SantoTomásdeAquino#Semantica#SeminariodeFilosofia#Semiótica#sensocomum#SentidodaVida#Ser#Sereconhecer#Simba#Simbolo#SimonedeBeauvoir#sinceridade#Sleepers#soberba#sociedade#Sociologiadotrabalho#Stalin#Susannelanger#Tarantino#Temperamentos#TeoriadasDozeCamadas#texto#The WalkingDead#TheodoreDalrymple#tiagoamorim#TimLahaye#TokyoGodfathers#Tolkien#Tradição#Transcendente#TratadodosValores#travesti#Tribos#Triplaintuição#Trivium#Tzvetantodorov#Umanel#Unamuno#universidade#utilitarismo#Valor#Verdade#Vida#VidaIntelectual#Videeditorial#Vieira#ViktorFrankl#VirgíniaFontes#Vontadeintelectual#weilAndrewLobaczewskiAxiologiaCruzPadreBobbySimbolismoVIsalãodolivropolítico