Uma introdução à Semiótica – Parte II

  • Isaac Denyon Fonseca
  • 18 fev 2022

Greimas, ao estudar o folclore lituano, percebe que as histórias possuíam uma estrutura lógica – nas quais as narrativas eram organizadas. Fiorin (2015) diz que a maior vantagem – à qual a semiótica discursiva pôde proporcionar – foi a de organizar um conjunto de regras focadas na leitura, e na  pesquisa meticulosa, do conteúdo dos textos. Este autor percebeu que subjacente às narrativas havia uma estrutura lógica – que organiza a manifestação dos textos. Caberia à semiótica francesa formalizar o Percurso Gerativo de sentido (PGS). Sendo assim, para a compreensão do Percurso é necessário que ela seja resumida.

Segundo Barros: [1] Diana Luz Pessoa de Barros. Teoria Semiótica do Texto – pag. 13

      a. o percurso gerativo do sentido vai do mais simples e abstrato ao mais complexo e concreto;

      b. são estabelecidas três etapas no percurso, podendo cada uma delas ser descrita e explicada por uma gramática autônoma, muito embora o sentido do texto dependa da relação entre os níveis;

     c. a primeira etapa do percurso, a mais simples e abstrata, recebe o nome de nível fundamental ou das estruturas fundamentais e nele surge a significação como uma oposição semântica mínima;

     d. no segundo patamar, denominado nível narrativo ou das estruturas narrativas, organiza-se a narrativa, do ponto de vista de um sujeito;

     e. o terceiro nível é o do discurso ou das estruturas discursivas em que a narrativa é assumida pelo sujeito da enunciação.

 

                            Nível fundamental

Este nível é caracterizado por sua simplicidade e abstração. A semântica é raramente usada e as associações de nível lógico são representadas por símbolos. Para interagir nesse nível, é essencial saber identificar as oposições semânticas. As definições das partes opostas são qualificadas como: boas ou más, justas ou injustas. As características boas são chamadas de “atraentes ou eufóricas” , enquanto as negativas são “repulsivas ou disfóricas”. As partes não são fixas, e dependem do modo como o texto irá mostrá-las. Isso pode ser exemplificado como: vida versus morte. Caso esta oposição fosse colocada em termos lógicos, poderia ser vista como S1 vs S2, sendo que S1 a vida e S2 a morte. Este é um exemplo de uma oposição semântica que é essencial para a estrutura do sentido de um texto – pois torna possível que o PSG possa começar do S1 (vida) , atravessar o não-S1 (não-vida), para chegar ao destino do S2 (morte) ou seja: a vida em S1 é contestada e finalizada,  por sustentar o S2. A interpretação deste percurso é que a morte saiu vencedora – o que tem por consequência a perda da vida.

 

                                          Nível narrativo

No nível anterior, tanto as estruturas como a semântica eram mais simples, pois tratava- se de um nível mais abstrato. Aqui elas possuem um desenvolvimento que as permitem sustentar uma narrativa, pois “não se trata mais de afirmar ou negar um conteúdo, de afirmar a liberdade e recusar a dominação, mas de transformar, pela ação do sujeito, estados de liberdade ou opressão“. [2] Diana Luz Pessoa de Barros. Teoria Semiótica do Texto – pag. 15 Após estudar as pesquisas de Propp e Lévi-Strauss sobre narratividade, Greimas desenvolve a teoria de que a semiótica mostra como funcionam as estruturas narrativas. Ele também considera que tais estruturas narrativas são necessárias para a produção do discurso, já que é este que associa os elementos formadores do nível discursivo. Portanto, para que a semiótica estabeleça o nível discursivo, é necessário antes a formalização do narrativo.

 

                          A FORMALIZAÇÃO DO NÍVEL NARRATIVO E O MODELO ACTANCIAL

 

Este conteúdo está bloqueado

Assine agora ou faça login para desbloquear o conteúdo!

References

References
1 Diana Luz Pessoa de Barros. Teoria Semiótica do Texto – pag. 13
2 Diana Luz Pessoa de Barros. Teoria Semiótica do Texto – pag. 15
Isaac Denyon Fonseca

Isaac Denyon Fonseca, natural de Teresina, Piauí. Bacharel em Jornalismo e Licenciando em Língua Portuguesa/Inglesa. Estudante da obra de Mário Ferreira dos Santos e Louis Lavelle.

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter por e-mail para receber artigos úteis e ofertas especiais.


    Tags populares

    #4discursos#8m#actante#Adolescente#AlainPeyrefitte#AlfredKinsey#Alienação#AltaCultura#Amadeus#AmãodeDeus#Amlet#AnaCampagnolo#Analiseliteraria#Anime#AntonioGramsci#AntonioMazzeo#Antoniorago#Antropologia#aparelhosprivadosdehegemonia#Aristoteles#Arte#artedopossivel#Artes#Artesacra#Autoridade#Beleza#biografia#Blackclover#Bleach#Boecio#Boitempo#Bokunohero#BradPitt#Brasil#Brasilparalelo#burguesia#burke#CapitalIntelectual#CapitalSocial#Caridade#CarlJung#Celsofrederico#Certeza#Chesterton#cidadania#circulodelatencia#COF#comunismo#Confiança#consciência#consciente#conservador#conservadorismo#convicção#CornelioFabro#Cornu#Cosmologia#Cosmos#Cratologia#Crianças#cristianismo#Cristo#Critica#cultura#CulturaOriental#CulturaPop#cursoonlinedefilosofia#Dalila#Deathnote#decadialetica#DecioSaes#democraciaracial#Depressão#Desenvolvimentosocioeconômico#Deus#dialetica#Dialeticasimbolica#DiaM#Dianabarros#Direita#discursivo#discurso#Divorcio#Dostoievski#Drama#EdgarAllanPoe#Edithstein#edmundhusserlcontraopsicologismo#Educação#Educaçãodomiciliar#ego#Epistemologia#epistemologiafilosofica#eraumavez#Ericvoegelin#escoladefrankfurt#Escolastica#Espírito#esquerda#Estado#Eternidade#Etzel#Evidência#Existencialismo#extremadireita#fantastico#Fariasbrito#fascismo#FaustoZamboni#Fé#feminismo#Filmes#Filosofia#FilosofiadoDireito#FilosofiadoValor#Filosofiapolítica#Filosofiatransconsciêncial#FrançoisLecoutre#FriedrichEngels#Frodo#Gênero#GeorgeOrwell#Gilbertofreyre#GordonAllport#Gramsci#Greimas#GyörgyLukács#HannahArendt#HansKelsen#Hegel#Heidegger#Histericos#Homem#Homemcomum#Homeschooler#ideologia#Igreja#Iluminismo#Império#inconsciente#Índice#IndústriaCultural#integralismo#intelectualidade#Inteligência#Inteligenciaemocional#inteligenciaeverdade#introduçãoaolavodecarvalho#Intuição#IstvánMészáros#ItaloMarsili#IvanIllich#Jakobwassermann#Japão#Jardimdasaflições#Jaspers#Jeancalvez#JeanJacquesRousseau#Joãocamilo#jornalcultural#josepaulonetto#JrrTolkien#JuanCruzCruz#JudithButler#JulianMarias#jusnaturalismo#juspositivismo#Kant#KarlMarx#KateMillett#Kierkegaard#kirk#Kollontai#korsch#Lavelle#Leiseternas#leisontologicas#LeonardoDicaprio#LeszekKolakowski#Libidodominandi#linguagem#Literatura#logoi#Logoterapia#LouisLavelle#Lukács#Luke#Mangá#Maquiavel#MargaretSanger#MaríliaMoschkovich#Marioferreira#Marlyviana#Marx#marxianos#marxismo#marxistas#marxologos#maturidade#Maurizius#Mentalidaderevolucionaria#Meszaros#Metafisica#metafisicacarvalhiana#midcult#Mídia#Midiasemmascara#Mídiassociais#Milosforman#Mito#Mozart#Mundo#NancyFraser#Nãoolheparacima#narrativo#Naruto#Natal#Naturezahumana#negacionista#neocon#neofascismo#Netflix#Nietzsche#Niilismo#Ocorvo#Ódio#Ogatopreto#ohobbit#Ohomemdonorte#Olavodecarvalho#OliveiraViana#OminimosobreOlavodeCarvalho#Ontologia#ONU#OrtegayGasset#ortodoxia#osenhordosaneis#OSilmarillion#Oswaldspengler#Otaku#Pais#pandemia#PaoloSorrentino#Pascoa#passado#Patronato#PedroLombardo#Peirce#pentadialetica#perelman#Personalidade#perspectivarotatoria#Poder#Podermoderador#Pólis#Ponerologia#popular#Portugal#práxis#presençadoser#Programanarrativo#Prudencia#Psicologia#Raskólnikov#Raymondaron#reacionarismo#realidade#realidadebrasileira#ReneGuenon#República#RevistaVeja#Revoluçãosexual#RicardoAntunes#RobertdeNiro#RobertEggers#RonaldRobson#Rosaluxemburgo#Rosenstock#Rubel#sabedoriadasleiseternas#Sacerdotes#Sade#Sansão#SantoTomásdeAquino#Semantica#SeminariodeFilosofia#Semiótica#sensocomum#SentidodaVida#Ser#Sereconhecer#Simba#Simbolo#SimonedeBeauvoir#sinceridade#Sleepers#soberba#sociedade#Sociologiadotrabalho#Stalin#Susannelanger#Tarantino#Temperamentos#TeoriadasDozeCamadas#texto#The WalkingDead#TheodoreDalrymple#tiagoamorim#TimLahaye#TokyoGodfathers#Tolkien#Tradição#Transcendente#TratadodosValores#travesti#Tribos#Triplaintuição#Trivium#Tzvetantodorov#Umanel#Unamuno#universidade#utilitarismo#Valor#Verdade#Vida#VidaIntelectual#Videeditorial#Vieira#ViktorFrankl#VirgíniaFontes#Vontadeintelectual#weilAndrewLobaczewskiAxiologiaCruzPadreBobbySimbolismoVIsalãodolivropolítico