Literatura a serviço da Política ou da Pólis?

  • Thiarles Soares
  • 16 nov 2022

Diz Aristóteles, em seu tratado de Política, que a cidade é uma associação a qual visa um bem – neste caso, um bem comum. Ora, em português, a palavra “comum” é preciosa porque, assim como a palavra “poder”, ela emite a ideia precisa do que ela é: comum é o próprio de unidade, ser um com outro, comunhão de ideias, comunhão de duas ou mais pessoas cordatas entre si. As palavras comum e município possuem um parentesco de ideias e de etimologia, pois a primeira trata da união de pessoas com um bem em comum a se realizar, e a segunda é a fortificação desta comunidade – local onde estas “ideias” comungadas ganham literalmente um corpo, a cidade.

No conceito romano, e no conceito greco-aristotélico, há a comunhão do que seja a cidade – que é a comunhão de valores e ideias de pessoas livres, ou seja, civis, e, por isto mesmo, civilização. Portanto, a civilização é a construção da comunhão de valores, ou seja: não existe civilização sem que haja a comunhão de valores e ideias de homens livres. Pois bem, isto significa que a civilização é construída, antes de tudo, por ideias que uma comunidade apreende e compreende como sendo a realidade; é a luta por se preservar de toda ruína ao longo do tempo.

A literatura é aquilo que tem o papel primordial na produção desta comunhão de valores e ideias, pois é a responsável por difundi-las, através da educação – o ato de conduzir o cidadão, ou potencial cidadão, para fora de seu eu, atomizado no recanto familiar.  Mas a literatura – que ora arguimos ser a primordial munição para o construto comungado de ideias – é a alta literatura, porque ela é fruto de uma longa tradição de ideias – as quais vão absorvendo, de geração em geração, à rica experiência das gerações passadas. Isso significa dizer que a alta literatura é, essencialmente, uma Tradição (com letra maiúscula) – e, numa civilização, desempenha um dever semelhante àquilo que a religião tem dever principal, isto é, religar o homem ao seu Criador.

Assim, a literatura também tem papel de religar, mas religar uma geração com a outra, de um coração para outro coração, uma verdade à outra – criando a ponte de travessia que não pode ser quebrada. Recorremos àquela imagem do corredor da tocha olímpica: a tocha é o conhecimento passado de mãos em mãos, de coração em coração, de geração em geração. A alta literatura é como Fidípedes – como a sua notória façanha de dar a vitória antes que seja tarde, antes da derrota massacrante.

Cada elemento do saber passado, é absorvido, de geração em geração, pela inteligência; é uma corrida de maratona pela vitória antes de uma possível derrota, porque a derrota de uma civilização ocorre quando não há mais a comunicação e a tradição, quer dizer: este trazer e conduzir uma inteligência para fora. A literatura não é obra que visa uma inovação futura, mas sim assegurar o que já se construiu – assegurando também que os próximos corredores possam levar a tocha do conhecimento adiante. Este esforço para absorver a experiência, perpassada pelas gerações humanas, é contínuo, e é feito individualmente.

Mas o que vemos hoje é uma abrupta quebra deste esforço. Pois bem, a palavra comunhão também tem outra parente próxima: a palavra comunicação – que é o ato de unir, por meio de uma linguagem compreensível e acessível, um conhecimento de alguém com o de outro. Mas se, por um defeituoso abandono da Tradição, esta linguagem se quebra, quebra-se também a comunicação possível e, portanto, a experiência e o conhecimento possível.

Este conteúdo está bloqueado

Assine agora ou faça login para desbloquear o conteúdo!

Thiarles Soares

Thiarles Soares, natural de Taiobeiras, MG, é escritor e compositor. É aluno do COF desde 2019, estuda como autodidata nas seguintes áreas: Filosofia Política, História do Brasil, Teoria do Conhecimento, Cosmologia e História da Igreja. Atualmente se dedica de corpo e alma à Literatura e ao seu poder transformador na cultura, além da crítica à Música.

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter por e-mail para receber artigos úteis e ofertas especiais.


    Tags populares

    #4discursos#8m#actante#Adolescente#AlainPeyrefitte#AlfredKinsey#Alienação#AltaCultura#Amadeus#AmãodeDeus#Amlet#AnaCampagnolo#Analiseliteraria#Anime#AntonioGramsci#AntonioMazzeo#Antoniorago#Antropologia#aparelhosprivadosdehegemonia#Aristoteles#Arte#artedopossivel#Artes#Artesacra#Autoridade#Beleza#biografia#Blackclover#Bleach#Boecio#Boitempo#Bokunohero#BradPitt#Brasil#Brasilparalelo#burguesia#burke#CapitalIntelectual#CapitalSocial#Caridade#CarlJung#Celsofrederico#Certeza#Chesterton#cidadania#circulodelatencia#COF#comunismo#Confiança#consciência#consciente#conservador#conservadorismo#convicção#CornelioFabro#Cornu#Cosmologia#Cosmos#Cratologia#Crianças#cristianismo#Cristo#Critica#cultura#CulturaOriental#CulturaPop#cursoonlinedefilosofia#Dalila#Deathnote#decadialetica#DecioSaes#democraciaracial#Depressão#Desenvolvimentosocioeconômico#Deus#dialetica#Dialeticasimbolica#DiaM#Dianabarros#Direita#discursivo#discurso#Divorcio#Dostoievski#Drama#EdgarAllanPoe#Edithstein#edmundhusserlcontraopsicologismo#Educação#Educaçãodomiciliar#ego#Epistemologia#epistemologiafilosofica#eraumavez#Ericvoegelin#escoladefrankfurt#Escolastica#Espírito#esquerda#Estado#Eternidade#Etzel#Evidência#Existencialismo#extremadireita#fantastico#Fariasbrito#fascismo#FaustoZamboni#Fé#feminismo#Filmes#Filosofia#FilosofiadoDireito#FilosofiadoValor#Filosofiapolítica#Filosofiatransconsciêncial#FrançoisLecoutre#FriedrichEngels#Frodo#Gênero#GeorgeOrwell#Gilbertofreyre#GordonAllport#Gramsci#Greimas#GyörgyLukács#HannahArendt#HansKelsen#Hegel#Heidegger#Histericos#Homem#Homemcomum#Homeschooler#ideologia#Igreja#Iluminismo#Império#inconsciente#Índice#IndústriaCultural#integralismo#intelectualidade#Inteligência#Inteligenciaemocional#inteligenciaeverdade#introduçãoaolavodecarvalho#Intuição#IstvánMészáros#ItaloMarsili#IvanIllich#Jakobwassermann#Japão#Jardimdasaflições#Jaspers#Jeancalvez#JeanJacquesRousseau#Joãocamilo#jornalcultural#josepaulonetto#JrrTolkien#JuanCruzCruz#JudithButler#JulianMarias#jusnaturalismo#juspositivismo#Kant#KarlMarx#KateMillett#Kierkegaard#kirk#Kollontai#korsch#Lavelle#Leiseternas#leisontologicas#LeonardoDicaprio#LeszekKolakowski#Libidodominandi#linguagem#Literatura#logoi#Logoterapia#LouisLavelle#Lukács#Luke#Mangá#Maquiavel#MargaretSanger#MaríliaMoschkovich#Marioferreira#Marlyviana#Marx#marxianos#marxismo#marxistas#marxologos#maturidade#Maurizius#Mentalidaderevolucionaria#Meszaros#Metafisica#metafisicacarvalhiana#midcult#Mídia#Midiasemmascara#Mídiassociais#Milosforman#Mito#Mozart#Mundo#NancyFraser#Nãoolheparacima#narrativo#Naruto#Natal#Naturezahumana#negacionista#neocon#neofascismo#Netflix#Nietzsche#Niilismo#Ocorvo#Ódio#Ogatopreto#ohobbit#Ohomemdonorte#Olavodecarvalho#OliveiraViana#OminimosobreOlavodeCarvalho#Ontologia#ONU#OrtegayGasset#ortodoxia#osenhordosaneis#OSilmarillion#Oswaldspengler#Otaku#Pais#pandemia#PaoloSorrentino#Pascoa#passado#Patronato#PedroLombardo#Peirce#pentadialetica#perelman#Personalidade#perspectivarotatoria#Poder#Podermoderador#Pólis#Ponerologia#popular#Portugal#práxis#presençadoser#Programanarrativo#Prudencia#Psicologia#Raskólnikov#Raymondaron#reacionarismo#realidade#realidadebrasileira#ReneGuenon#República#RevistaVeja#Revoluçãosexual#RicardoAntunes#RobertdeNiro#RobertEggers#RonaldRobson#Rosaluxemburgo#Rosenstock#Rubel#sabedoriadasleiseternas#Sacerdotes#Sade#Sansão#SantoTomásdeAquino#Semantica#SeminariodeFilosofia#Semiótica#sensocomum#SentidodaVida#Ser#Sereconhecer#Simba#Simbolo#SimonedeBeauvoir#sinceridade#Sleepers#soberba#sociedade#Sociologiadotrabalho#Stalin#Susannelanger#Tarantino#Temperamentos#TeoriadasDozeCamadas#texto#The WalkingDead#TheodoreDalrymple#tiagoamorim#TimLahaye#TokyoGodfathers#Tolkien#Tradição#Transcendente#TratadodosValores#travesti#Tribos#Triplaintuição#Trivium#Tzvetantodorov#Umanel#Unamuno#universidade#utilitarismo#Valor#Verdade#Vida#VidaIntelectual#Videeditorial#Vieira#ViktorFrankl#VirgíniaFontes#Vontadeintelectual#weilAndrewLobaczewskiAxiologiaCruzPadreBobbySimbolismoVIsalãodolivropolítico