O Filósofo Olavo de Carvalho em sua Prática Filosófica: uma breve introdução

  • Rodolfo Melo
  • 6 mar 2024

 

Ao mestre Olavo de Carvalho, sempre e eternamente, a quem devo tudo o que sou e que serei um dia”.

Introduzir a obra filosófica de Olavo de Carvalho é uma tarefa complexa, árdua e problemática não somente pela fragmentariedade, dispersão, densidade e caoticidade difusa, como também pela riqueza e profundidade das questões que foram metodologizadas por sua experiência filosófica. Carvalho não foi somente um filósofo brasileiro, mas também, assim como Mário Ferreira dos Santos, foi o maior de seu século, uma vez que se debruçou e confrontou as certezas e tensões dos horizontes fundamentais do filosofar, aos quais o debate filosófico moderno havia esquecido ou mesmo deixado de lado. Por isso, o legado filosófico de Carvalho deixa como contribuição para o debate  moderno as atualizações e descobertas fundamentais e cruciais  para a própria continuidade do projeto filosófico enquanto tal (entendido, pois, desde a perspectiva de uma tradição socrática).

 

1§ INTRODUÇÃO


Neste sentido, vê-se como uma mera introdução sintética, condensada e resumida, jamais poderia dar conta de explicar e dimensionar, de modo suficiente, a integralidade e completude de sua prática filosófica. Some-se a isso o fato do estudante brasileiro, acostumado com ensinos “apostilares” [1] Espírito que, já em 1973, foi tão bem denunciado pelo filósofo Miguel Reale. Ver: REALE, Miguel. Lições preliminares de direito. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2002, p.XVI.  (agravados pelo consumo desenfreado das plataformas de produtos-informacionais, tais como posts e caixinhas de respostas do instagram, cursos onlines, vídeos recortados do youtube, etc), possuir uma compreensão incorreta e banal de qual seria a finalidade dos trabalhos que comentam ou introduzem autores e/ou pesquisas.

Consequentemente, a visão corrente da sociedade brasileira é que uma introdução é uma facilitação (no sentido de permitir o estudo de dado conteúdo que, sendo mais extenso, requer maior esforço), uma espécie de treino pelo qual o estudante tem de, necessariamente, passar para se capacitar e participar do verdadeiro jogo, quando, na verdade, ela é o exato oposto, isto é, uma problematização, cada vez mais formal, das metodologias, critérios e análises existentes na obra. Sendo assim, uma introdução não facilita certo autor ou obra, mas, pelo contrário, adentra, puxando os parâmetros presentes e tematizados na obra, em novos horizontes formais de investigação, de modo a aprimorar e estruturar, então, as linhas que estavam confusas, misturadas e fundidas, na mesclagem difusa e indeterminada [2] Tomada aqui no sentido aristotélico do termo, ou seja, uma matéria sem uma forma específica pela qual ela se distingue de outra. de seus elementos.

Nesse contexto, introduzir a filosofia de Carvalho não é, ao contrário do que parece, uma iniciação ao seu filosofar, mas sim uma tentativa de formalizar e depurar a estrutura geral e orgânica dos campos de problemas que foram despertados pela sua metodologia e vivência filosófica, mas que, como não poderia deixar de ser, permaneceram insolúveis, não classificados [3]Para o filósofo Mário Ferreira dos Santos, classificar é consagrar a explicação, posto que a classificação é “a coordenação, a redução dos conhecimentos” e das explicações aceitas. … Continue reading e abertos.

Este conteúdo está bloqueado

Assine agora ou faça login para desbloquear o conteúdo!

References

References
1 Espírito que, já em 1973, foi tão bem denunciado pelo filósofo Miguel Reale. Ver: REALE, Miguel. Lições preliminares de direito. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2002, p.XVI.
2 Tomada aqui no sentido aristotélico do termo, ou seja, uma matéria sem uma forma específica pela qual ela se distingue de outra.
3 Para o filósofo Mário Ferreira dos Santos, classificar é consagrar a explicação, posto que a classificação é “a coordenação, a redução dos conhecimentos” e das explicações aceitas. Ainda de acordo com Santos, “classificar é dominar, é distinguir, é comparar, é juntar os semelhantes, os iguais com os iguais, é ordenar, coordenar”, estabelecendo, pois, uma “relação causal” ao “encaixar os conceitos uns nos outros”, tendo em vista que “ao tirá-los, fazemos com que uns produzam os outros”. Ver: SANTOS, Mário Ferreira dos. Filosofia e cosmovisão. São Paulo: É Realizações, 2018, p.159-166.
Rodolfo Melo

Rodolfo Melo nasceu em João Pessoa – PB; é Presidente e Editor Chefe do Jornal Cidadania Popular; aluno do COF desde 2016, tendo feito também o curso “PSICOLOGÍA DE LA TEMPLANZA”, com o Psicólogo Tomista Martin Echavarría.

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter por e-mail para receber artigos úteis e ofertas especiais.


    Tags populares

    #4discursos#8m#actante#Adolescente#AlainPeyrefitte#AlfredKinsey#Alienação#AltaCultura#Amadeus#AmãodeDeus#Amlet#AnaCampagnolo#Analiseliteraria#Anime#AntonioGramsci#AntonioMazzeo#Antoniorago#Antropologia#aparelhosprivadosdehegemonia#Aristoteles#Arte#artedopossivel#Artes#Artesacra#Autoridade#Beleza#biografia#Blackclover#Bleach#Boecio#Boitempo#Bokunohero#BradPitt#Brasil#Brasilparalelo#burguesia#burke#CapitalIntelectual#CapitalSocial#Caridade#CarlJung#Celsofrederico#Certeza#Chesterton#cidadania#circulodelatencia#COF#comunismo#Confiança#consciência#consciente#conservador#conservadorismo#convicção#CornelioFabro#Cornu#Cosmologia#Cosmos#Cratologia#Crianças#cristianismo#Cristo#Critica#cultura#CulturaOriental#CulturaPop#cursoonlinedefilosofia#Dalila#Deathnote#decadialetica#DecioSaes#democraciaracial#Depressão#Desenvolvimentosocioeconômico#Deus#dialetica#Dialeticasimbolica#DiaM#Dianabarros#Direita#discursivo#discurso#Divorcio#Dostoievski#Drama#EdgarAllanPoe#Edithstein#edmundhusserlcontraopsicologismo#Educação#Educaçãodomiciliar#ego#Epistemologia#epistemologiafilosofica#eraumavez#Ericvoegelin#escoladefrankfurt#Escolastica#Espírito#esquerda#Estado#Eternidade#Etzel#Evidência#Existencialismo#extremadireita#fantastico#Fariasbrito#fascismo#FaustoZamboni#Fé#feminismo#Filmes#Filosofia#FilosofiadoDireito#FilosofiadoValor#Filosofiapolítica#Filosofiatransconsciêncial#FrançoisLecoutre#FriedrichEngels#Frodo#Gênero#GeorgeOrwell#Gilbertofreyre#GordonAllport#Gramsci#Greimas#GyörgyLukács#HannahArendt#HansKelsen#Hegel#Heidegger#Histericos#Homem#Homemcomum#Homeschooler#ideologia#Igreja#Iluminismo#Império#inconsciente#Índice#IndústriaCultural#integralismo#intelectualidade#Inteligência#Inteligenciaemocional#inteligenciaeverdade#introduçãoaolavodecarvalho#Intuição#IstvánMészáros#ItaloMarsili#IvanIllich#Jakobwassermann#Japão#Jardimdasaflições#Jaspers#Jeancalvez#JeanJacquesRousseau#Joãocamilo#jornalcultural#josepaulonetto#JrrTolkien#JuanCruzCruz#JudithButler#JulianMarias#jusnaturalismo#juspositivismo#Kant#KarlMarx#KateMillett#Kierkegaard#kirk#Kollontai#korsch#Lavelle#Leiseternas#leisontologicas#LeonardoDicaprio#LeszekKolakowski#Libidodominandi#linguagem#Literatura#logoi#Logoterapia#LouisLavelle#Lukács#Luke#Mangá#Maquiavel#MargaretSanger#MaríliaMoschkovich#Marioferreira#Marlyviana#Marx#marxianos#marxismo#marxistas#marxologos#maturidade#Maurizius#Mentalidaderevolucionaria#Meszaros#Metafisica#metafisicacarvalhiana#midcult#Mídia#Midiasemmascara#Mídiassociais#Milosforman#Mito#Mozart#Mundo#NancyFraser#Nãoolheparacima#narrativo#Naruto#Natal#Naturezahumana#negacionista#neocon#neofascismo#Netflix#Nietzsche#Niilismo#Ocorvo#Ódio#Ogatopreto#ohobbit#Ohomemdonorte#Olavodecarvalho#OliveiraViana#OminimosobreOlavodeCarvalho#Ontologia#ONU#OrtegayGasset#ortodoxia#osenhordosaneis#OSilmarillion#Oswaldspengler#Otaku#Pais#pandemia#PaoloSorrentino#Pascoa#passado#Patronato#PedroLombardo#Peirce#pentadialetica#perelman#Personalidade#perspectivarotatoria#Poder#Podermoderador#Pólis#Ponerologia#popular#Portugal#práxis#presençadoser#Programanarrativo#Prudencia#Psicologia#Raskólnikov#Raymondaron#reacionarismo#realidade#realidadebrasileira#ReneGuenon#República#RevistaVeja#Revoluçãosexual#RicardoAntunes#RobertdeNiro#RobertEggers#RonaldRobson#Rosaluxemburgo#Rosenstock#Rubel#sabedoriadasleiseternas#Sacerdotes#Sade#Sansão#SantoTomásdeAquino#Semantica#SeminariodeFilosofia#Semiótica#sensocomum#SentidodaVida#Ser#Sereconhecer#Simba#Simbolo#SimonedeBeauvoir#sinceridade#Sleepers#soberba#sociedade#Sociologiadotrabalho#Stalin#Susannelanger#Tarantino#Temperamentos#TeoriadasDozeCamadas#texto#The WalkingDead#TheodoreDalrymple#tiagoamorim#TimLahaye#TokyoGodfathers#Tolkien#Tradição#Transcendente#TratadodosValores#travesti#Tribos#Triplaintuição#Trivium#Tzvetantodorov#Umanel#Unamuno#universidade#utilitarismo#Valor#Verdade#Vida#VidaIntelectual#Videeditorial#Vieira#ViktorFrankl#VirgíniaFontes#Vontadeintelectual#weilAndrewLobaczewskiAxiologiaCruzPadreBobbySimbolismoVIsalãodolivropolítico